domingo, 4 de março de 2012

Vestmannaeyjar


Nome oficial: Vestmannaeyjar
População: 4.142
Arquipélago da: Islândia
Idioma: islandês

O que é: Vestmannaeyjar é uma cidade e um arquipélago ao sul da Islândia. A ilha maior, Heimaey, possui quase todos os habitantes do arquipélago. As outras ilhas são desabitadas, apesar de em seis delas haver cabanas de caça. A cantora Björk possui uma casa solitária em uma das ilhas de Vestmannaeyjar. O arquipélago ficou internacionalmente conhecido primeiramente nos anos 1960, com o surgimento da ilha Surtsey através de uma erupção vulcânica submarina, que acabou por criar a mais nova ilha do planeta. Uma década depois, o grande erupção do vulcão Eldfell, que destruiu grande parte da cidade, forçou uma evacuação por completo da população para a Islândia. Uma parte da cidade é hoje conhecida como a "Pompeia do Norte", devido ao número de edifícios ainda cobertos pela lava e cinzas vulcânicas da erupção da década de 1970.


Como chegar: O ferryboat Herjólfur leva passageiros e carros em horários regulares entre Þorlákshöfn e Vestmannaeyjar. A viagem dura duas horas e 45 minutos. O navio leva até 500 passageiros e 50 carros. A bordo há uma cafeteria e local para dormir pode ser agendado. Entretanto, em 2010, um novo porto - Landeyjarhöfn - foi construído na costa sul da Islândia, a somente 11 km da ilha Heimaey. Quando as condições do tempo e do porto permitem, o Herjólfur opera nessa rota muito mais curta, fazendo quatro ou cinco viagens de ida e volta por dia. As tarifas são menores nessa rota mais rápida, e cada viagem leva em torno de meia hora. Existem ônibus de Reykjavík para Landeyjarhöfn, passando pela cidade de Selfoss. De avião, a Eagle Air (Ernir) opera uma rota diária durante o verão entre as Ilhas Westman e Reykjavík. O tempo de voo é de somente 25 minutos.


Andando por lá: Heimaey é uma ilha bem pequena, com 7 km por 4 km, então tudo dá para ser feito à pé. Existem trilhas por toda a ilha então qualquer turista que esteja ao menos um pouquinho em forma conseguirá aproveitar bem o passeio andando. Carros podem ser alugados no aeroporto ou na cidade. Os preços são a partir de R$ 110 por dia. Passeios guiados de ônibus, passeios de barco e de caminhadas também são disponibilizados. Recomenda-se a empresa local Viking Tours. É possível fazer um passeio de dia inteiro a partir de Reykjavík para as Ilhas Westman com a empresa Iceland Excursions, que inclui o trajeto de ônibus (guiado) até Landeyjarhöfn, ida e volta no ferryboat, passeio guiado em Heimaey, alimentação rápida e passeio de barco bem completo em torno de toda a ilha principal.


O que ver: Um passeio ao Museu de História Natural, o único do tipo na Islândia, que vale o nome que tem: veja peixes e outras criaturas do mar nadarem em seus aquários, uma boa mostra de aves empalhadas e uma das melhores coleções de minerais islandeses. Vá ao Skansinn, o local no porto onde o fluxo de lava parou em 1973. Lá você encontrará uma igreja nórdica de madeira, a única do tipo na Islândia, um presente do povo da Noruega, e o Landlyst, a segunda construção mais antiga das ilhas, que hoje abriga um pequeno museu médico.


O que fazer: Ande no mais recente campo de lava, muitos metros acima do nível da rua e onde ficavam os prédios, onde você verá placas indicando o que havia ali, assim bem como o topo das casas, no local que hoje é conhecido na Islândia como a "Pompeia do Norte". Jogue golfe, em nove ou dezoito buracos em um campo escolhido pela revista Golf Digest como um dos 200 mais aprazíveis da Europa. Navegue pelas ilhas, uma volta completa dura em torno de 90 minutos. Acompanhado você irá um guia que talvez tocará trompete ou saxofone dentro de uma das cavernas. Você poderá ver a vida das aves bem de perto e, se tiver sorte, ver baleias e golfinhos brincando. Dependendo da época, é possível avistar o pássaro mais conhecido da Islândia, o puffin, nas Ilhas Westman. Os passeios podem ser agendados no porto de Vestmannaeyjar.


Suba o Heimaklettur, a maior formação rochosa das ilhas. Seu cume não tem mais que 283 metros, então não demanda muito tempo - nem muita força, pois nas partes mais difíceis da trilha, escadas foram colocadas. E a vista do topo é magnífica, não importa em qual direção você olhe. Vá até o topo do Stórhöfði, o local com mais ventos na Islândia - e possivelmente em toda a Europa, onde a média é de somente quatro dias sem vento por ano e a velocidade do vento pode atingir os 100 km/h. Não é preciso nem dizer que a vista é magnífica (a foto abaixo foi tirada no próprio Stórhöfði). No centro da (calmíssima e quase fantasma) cidade, há um cinema que mostra as erupções vulcânicas impressionantes do local nos anos 1960 e 1970.